Lumière encerra 8ª Mostra O Amor, a Morte e as Paixões com recorde de público e consagração no cenário cultural de Goiás

0

Chega ao fim nesta quarta-feira, 25 de fevereiro, a 8ª edição da Mostra “O Amor, a Morte e as Paixões”, realizada no Cinema Lumière do Shopping Bougainville. Foram 14 dias de evento, 90 filmes e 350 sessões, com títulos premiados nos maiores festivais de cinema do Brasil e do mundo. Dos 90 filmes exibidos, 20 eram inéditos no Brasil, e o Lumière os exibiu em Goiânia antes mesmo do eixo Rio/São Paulo. Neste ano, a Mostra bateu seu recorde de público: alcançou mais de 27 mil ingressos vendidos. O sucesso do projeto, criado em 2001 pelo presidente da Rede Lumière, Gerson Santos, e o professor de cinema da Universidade Federal de Goiás, Lisandro Nogueira, consolidou a Mostra como o segundo maior evento de cinema do Estado, e o maior da capital.

Lisandro Nogueira, Gerson Santos e Marcello Novaes

Lisandro Nogueira, Gerson Santos e Marcello Novaes

Os números provam isso: a cada ano, mais filmes e mais sessões são exibidas durante a Mostra, que, em sua primeira edição, começou com apenas 18 títulos. Um detalhe que atrai o público é o preço único de meia-entrada para todos. Neste ano, qualquer filme, de qualquer sessão, teve seus ingressos no valor de apenas R$ 10,00. Na sétima edição, em 2014, uma novidade surgiu para ficar: os passaportes. “Muitas pessoas nos contavam que vinham para a Mostra e assistiam até 20 filmes, então criamos esta opção para os cinéfilos que desejam aproveitar ao máximo nossa programação e pagar mais barato”, explica o presidente da Rede, Gerson Santos. A venda de passaportes durante a Mostra foi um dos recordes da oitava edição, o que reforça a adesão do público ao evento.

A decoradora Valéria Junqueira, e a coordenadora da Mostra, Debora Giovanella

A decoradora Valéria Junqueira, e a coordenadora da Mostra, Debora Giovanella

 

O casal Gerson e Rose Santos, com a gerente comercial , Debora Giovanella

O casal Gerson e Rose Santos, com a gerente comercial , Debora Giovanella

 

Lisandro Nogueira e a professora Iêda Leal

Lisandro Nogueira e a professora Iêda Leal

 

Gerson Santos com o casal Bel e Rildo Lasmar

Gerson Santos com o casal Bel e Rildo Lasmar

 

O jornalista Marcílio Velasco e o ator Marcello Novaes

O jornalista Marcílio Velasco e o ator Marcello Novaes

 

Laura e Igor Perillo com a assessora de imprensa da Mostra, Bárbara Daher

Laura e Igor Perillo com a assessora de imprensa da Mostra, Bárbara Daher

 

O arquiteto W Leão Ogawa e Debora Giovanella

O arquiteto W Leão Ogawa e Debora Giovanella

Parcerias

            A Mostra contou com apoio e parceria do Sindicato dos Professores do Estado de Goiás (Sinpro Goiás) e da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Goiás (Adufg). Os profissionais associados às entidades puderam pagar R$ 7,00 por cada ingresso.  O evento também contou com o apoio da Unimed Goiânia, Shopping Bougainville, Clube do Assinante do O Popular, Rádios CBN e Executiva, TV Anhanguera, Restaurantes Panela Mágica, Victória Gourmet e Cantina San Marco. O Poema Gourmet, apoiador desde 2014, fez sucesso com o Poema Café, montado ao lado do cinema. Durante a Mostra, o café foi ponto de encontro entre sessões, com direito a brigadeiros, chope Colombina e cafés variados.

Abertura e Pré-Estreia

A abertura aconteceu na quarta-feira, 11 de fevereiro, às 19h30. O filme escolhido foi o longa nacional “Casa Grande”. Na ocasião, o ator e protagonista do filme Marcello Novaes esteve presente. A sessão foi gratuita para público e convidados. Entre os presentes estavam a Secretária de Educação e Cultura de Goiás, professora Raquel Teixeira, o reitor da UFG, Dr. Orlando Afonso do Vale Amaral, a professora Iêda Leal e o cineasta Miguel Jorge. Também prestigiaram a abertura da Mostra o presidente do Sinpro-GO, professor Alan Francisco, e o professor Daniel Christino, representante da Adufg.

Na mesma noite, uma festa para convidados marcou o lançamento do aguardado “Cinquenta Tons de Cinza”, filme que foi exibido em pré-estreia. Os dois eventos contaram com coquetel do Buffet da Casa Carioca, oferecido pela TCI Incorporadora. A decoração foi da Festivitá Eventos por Eduardo Oliveira e Valéria Junqueira, o souvenir foi da Manga Rosa por Sílvia Umbelino, e todos brindaram com espumante oferecido pelo escritório Djalma Rezende Advogados Associados.

Debates

Durante a Mostra, o público pode conferir alguns dos melhores filmes em cartaz, e debater sobre eles com profissionais de diversos segmentos, para análise tanto técnica quanto conceitual. Os debates dos filmes “Relatos Selvagens”, “Cinquenta Tons de Cinza”, “O Homem das Multidões”, “Deixe a Luz Acesa” e “Branco Sai, Preto Fica” trouxeram um público expressivo para o cinema.

Favoritos do Público

            Em uma programação com 90 títulos, alguns sempre se destacam. O polêmico longa “Cinquenta Tons de Cinza” foi exibido em cerca de 30 sessões, a maioria lotadas com 230 pessoas em cada; outro filme que fez sucesso foi “Selma”, a cinebiografia de Martin Luther King, líder do movimento negro nos Estados Unidos. Concorrente ao Oscar de Melhor Filme, o drama foi exibido em seis sessões, para mais de 700 pessoas no total.   Não foram só produções norte-americanas que fizeram sucesso. O filme russo “Leviatã” e o argentino “Relatos Selvagens”, concorrentes ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, foram muito procurados. O filme argentino, inclusive, teve duas sessões extras abertas no último domingo da Mostra (22/02), atendendo aos pedidos do público. Alguns títulos, de tão procurados, vão continuar em cartaz no Cinema Lumière. É o caso de “Sr. Kaplan”, o documentário “Cássia Eller”, o drama de guerra “Sniper Americano” e “Whiplash – Em Busca da Perfeição”. A escolha das obras contou com o auxílio do jornalista da Folha de São Paulo Inácio Araújo, a diretora do Festival Rio, Ilda Santiago, do cineasta Cacá Diegues, de Sérgio Silva, diretor de programação da Cinemateca​ Brasileira​, de Fabrício Cordeiro (Goiânia) e Eduardo Horácio (grade de programação).

Melhorias e Projetos

Este ano, a Mostra foi maior e melhor. As filas, tanto para compra de ingressos e da bombonière, como para entrada nas salas de cinema, foram agilizadas e o tempo de espera foi o menor possível. Todos os equipamentos do cinema foram substituídos por versões digitais, o que facilitou a captação de diversos filmes nacionais e internacionais que antes não poderiam ser exibidos, sem deixar de fora filmes ainda feitos em película, que também estavam na Mostra. Em 2016, a Rede Lumière pretende trazer ainda mais filmes para a Mostra, além de considerar a possibilidade de expandir o evento para outros complexos, levando a Mostra para além do Shopping Bougainville. O sucesso da oitava edição do evento apenas prova que, a cada ano, a Mostra “O Amor, a Morte e as Paixões” se torna mais querida pelo público goianiense.

Compartilhe

Deixe sua interação